Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

ANO 20 • • Nº 38

ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE PSICANALÍTICA DE PORTO ALEGRE

Porto Alegre | RS

Mulheres e Psicanálise

  • Em 2001, o Comitê mudou a sua perspectiva, passando a considerar a questão de gênero - relações entre mulheres e homens, feminilidade/masculinidade

O COWAP foi criado em 1998 pela IPA para estudar “temas científicos e pesquisar assuntos relacionados à cultura, política e realidade social em torno das mulheres e homens da América Latina” (Araújo, M. 2007, p. 330). A proposta inicial era analisar a condição das mulheres e refletir a dimensão de gênero a partir de sua contribuição específica, conforme o conhecimento psicanalítico. Quando iniciou esse trabalho, o Comitê assumiu o objetivo de focar estudos relativos a mulheres, de acordo com uma tendência mundial. A psicanalista Marlene Araújo, que faleceu em 2021, participou na fundação do COWAP da América Latina e também da SPPA.

Em 2001, o Comitê mudou a sua perspectiva, passando a considerar a questão de gênero — relações entre mulheres e homens, feminilidade/masculinidade —, em sintonia com a maioria dos grupos, conservando, no entanto, a sua nomeação inicial.

O COWAP/SPPA, na gestão 2020/2021, vem realizando encontros científicos mensais para abordar esses assuntos, conforme os objetivos do Comitê. Depois de ouvir os psicanalistas interessados em participar das atividades do COWAP, foram selecionados os seguintes temas: parentalidade, gênero e racismo. Para os debates sobre gênero, membros da SPPA que estudam essas questões, como Maria Cristina Vasconcellos, Ruggero Levy e Viviane Mondrzak, promoveram a discussão sobre o tema. Também a psicanalista Alice Lewkowicz, debateu o tema do racismo.

Além disso, profissionais de outras instituições abordaram o tema da parentalidade, como Maria Cecilia Pereira da Silva e Elisabeth Lordello Coimbra, que enriqueceram o público com as suas experiências. Maria de Lourdes Teodoro promoveu a discussão sobre o racismo. Já a violência e gênero foi discutida com Susana Muszkat. Por fim, Rafael Cossi brindou a todos com o seu conhecimento sobre masculinidade e paternidade.

Além dos debates, foram formados dois grupos de estudos sobre os temas parentalidade e gênero, os quais estão aprofundando seu conhecimento sobre os assuntos escolhidos e deverão apresentar uma síntese no final desta gestão.