Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

ANO 21 • • Nº 39

ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE PSICANALÍTICA DE PORTO ALEGRE

Porto Alegre | RS

Autora

Maria Lucrécia Zavaschi

Psicanalista

Um farol que seguirá iluminando os nossos caminhos

Marlene Silveira Araújo

  • Marlene sempre foi, e continuará sendo, uma inspiração para todos nós

A notícia de sua morte caiu como um raio sobre nós. Difícil acreditar que ela realmente tenha morrido. Marlene Silveira Araújo era incompatível com morte. Ela era vida. Como tal, permeou a trajetória de todos nós da SPPA. Seu alegre semblante, acolhedor e generoso, assim como a sua figura forte, decidida, apaixonada e otimista, ainda estão impressos na retina. Seu riso cristalino, a voz inconfundível, de sotaque charmoso, eivado de palavras de conforto e esperança, seguem audíveis. Seu entusiasmo por tudo que se referisse à Psicanálise da infância, adolescência, mulheres, casais, família, direitos dos vulneráveis, justiça social, artes e música estão registrados em nossa memória, de forma indelével. Seus preciosos ensinamentos de Psicanálise seguem candentes.

A peste que assola o mundo, devido à covid-19, atingiu impiedosamente a nossa amada Mestra. Recorri aos psicanalistas da Infância e da Adolescência, aos quais aqui represento, para que me auxiliassem na dolorosa tarefa de homenageá-la. Emocionados, ainda chocados por sua morte, levantamos palavras que foram unânimes: mulher incrível, forte, generosa, bondosa, aberta ao novo, empática, cidadã atuante, amiga e pioneira da Psicanálise da Infância e Adolescência. Além dos inúmeros trabalhos e contribuições à nossa Sociedade, da qual foi presidente, teve como indiscutível pioneirismo, juntamente com suas amigas Rute Maltz e Nara Caron, a implantação da Formação de Psicanalistas da Infância e Adolescência da SPPA. Capitaneou o ensino com natural habilidade teórica e técnica, fluência no pensar analítico, admirável experiência clínica e incrível facilidade de acolher os casos mais complexos que se apresentassem. Agradecemos a honra e a fortuna de, em conjunto com ela e com a sua família, termos compartilhado espaços e tempos felizes de realização e aprendizado analítico e profundamente humano. Marlene sempre foi, e continuará sendo, uma inspiração para todos nós. É necessário que as luzes que dela emanaram permaneçam acesas. Marlene será um farol que seguirá iluminando os nossos caminhos.