Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

ANO 21 • • Nº 39

ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE PSICANALÍTICA DE PORTO ALEGRE

Porto Alegre | RS

Diretoria Científica propõe o pensar sobre as mudanças na atualidade

  • Comemorações dos 60 anos da SPPA já começaram

A Diretoria Científica da SPPA entende que vivemos atualmente tempos de muita incerteza, apreensão, para os quais temos sido desafiados diariamente. “Temos acompanhado mudanças e acontecimentos globais que impactam diretamente nas nossas vidas, e entendemos que cientificamente os psicanalistas precisam estar preparados para pensar tais mudanças e pensarem-se em meio a elas”, afirma a coordenadora Cátia Olivier Mello.

Uma dessas mudanças se expressa quando se percebe que as convicções pessoais parecem importar mais para definir a realidade do que os fatos objetivos. O termo “pós-verdade”, que há algum tempo já faz parte do nosso vocabulário, foi tema da conferência de abertura do ano científico de 2022, no mês de março. A psicóloga clínica, psicanalista e professora no Instituto de Psicanálise Contemporânea de Tel Aviv (TAICP) Shlomit Yadlin-Gadot falou sobre a pós-verdade na cultura atual.

Seguindo esse eixo, em maio, a atividade científica dirigida ao público interno da SPPA “Controvérsias: a interpretação em Ferenczi, Bion e Green” procurou oferecer subsídios para a comparação sobre a interpretação psicanalítica de três autores clássicos. Assim, Anette Blaya Luz trouxe o ponto de vista de Ferenczi; Gustavo Soares falou sobre Bion e Carlos Garia Faria apresentou Green, o que propiciou um estimulante debate.

Em julho de 2023 a SPPA completará 60 anos. Para celebrar a data, algumas atividades estão sendo planejadas e ocorrerão durante um ano, iniciando já em 2022. A primeira delas, em 14 de julho, organizada pela Diretoria Científica e pela Comissão de Memória, chamou-se “SPPA 60 anos. Em pauta: Nossa história”, contou com a participação dos psicanalistas Germano Wolmer Filho, Isaac Pechansky e do professor de Relações Internacionais UFRGS, historiador, doutor em História Econômica, Paulo Visentini.

DENTRE TANTOS EVENTOS DESTACAMOS ALGUNS PARA COLOCAR NA AGENDA:

27/08/22

No segundo semestre, para celebrar os 100 anos da Semana de Arte Moderna, o evento “O movimento antropofágico na arte e na psicanálise”, terá a presença da historiadora da arte e professora do Instituo de Artes da UFRGS, Paula Viviane Ramos e da psicanalista da SPPA Denise Bystronski. “Neste dia pensaremos sobre como essas duas áreas do conhecimento incorporaram elementos do sujeito que vinha se modificando na modernidade, fazendo-o interagir e enriquecer a arte e a psicanálise”, conta Cátia.

08/09/22

Como uma das maneiras de auxiliar os psicanalistas a “se pensarem”, no dia oito de setembro o doutor em Ciências Sociais (UBA), professor e pesquisador em Filosofia Política, Epistemologia, na Universidade de Entre Ríos, Argentina, Leandro Drivet, falará sobre seu artigo “Pandemia, Ecologia e Psicanálise”.

10/09/22

“Inseridas em uma cultura de exclusão e intolerância, também as instituições psicanalíticas sofrem o desafio de enfrentar tais questões, seja com seus pacientes, seja na própria instituição, que por óbvio não fica imune ao que ocorre no mundo em geral”, explica Cátia. Para auxiliar nesta tarefa, no dia dez de setembro, os psicanalistas H. Shmuel Erlich e Mira Erlich-Ginor sob a coordenação de Claudio Eizirik conversarão sobre o seu trabalho que procura, utilizando ferramentas da psicanálise, encontrar e enfrentar em nós mesmos as raízes da intolerância no seu formato mais interno. Para eles, uma pretensa liberdade calcada na indiferença e não na compreensão pode aumentar o espaço que nos afasta uns dos outros e acirrar a polarização entre grupos e tendências.

08/10/22

No dia oito de outubro ocorrerá um encontro científico preparatório para o 29º Congresso da FEBRAPSI - Eu com Isso: afetos em emergência – comemoração do centenário de “O Eu e o ID” de Sigmund Freud (1923), organizado em conjunto entre as diretorias cientificas da SPPA, Sociedade Brasileira de Psicanálise de Porto Alegre e Sociedade Psicanalítica de Pelotas com o tema “eu com isso: o que mudou na estrutura? E na técnica?”