Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

ANO 21 • • Nº 39

ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE PSICANALÍTICA DE PORTO ALEGRE

Porto Alegre | RS

28º Congresso da Febrapsi – Laços: o Eu e o mundo

  • Evento reuniu 1.300 participantes das federadas, candidatos e pessoas de fora da Febrapsi

“Sonhar é acordar-se para dentro .... A psicanálise? Uma das mais fascinantes modalidades do gênero policial, em que o detetive procura desvendar um crime que o próprio criminoso ignora.” Mario Quintana

“Odeio todas as formas de ditadura, inclusive as chamadas benignas ou paternalistas. Detesto qualquer forma de coação. A causa daqueles que lutam pela liberdade será sempre a minha causa. Não aceito como são e valido nenhum regime político e econômico que não tenha como base o respeito à pessoa humana.” Érico Veríssimo

Entre os dias 23 e 26 de março de 2022, em tempos “ainda pandêmicos”, ocorreu, de forma virtual, o 28° Congresso Brasileiro de Psicanálise da Federação Brasileira de Psicanálise - Febrapsi. Foram 1.300 inscritos, com grande número de participantes das federadas, candidatos e pessoas de fora da Febrapsi.

A organização do Congresso teve seu início no tempo pré-pandêmico, no final de 2019, quando representantes das federadas do Brasil, em conjunto com representantes das três Sociedades anfitriãs – SPPA, SBPdePA, SPPel –, reuniram-se presencialmente e criaram juntos o tema Laços: o Eu e o mundo. “Dois meses após, entramos no tempo pandêmico, em que, ao longo de um pouco mais de dois anos, vivemos o desafio e as incertezas de realizar um congresso psicanalítico em condições distantes do ideal”, relata Joyce Goldstein, secretária do Conselho Científico da Febrapsi e representante da SPPA.

No trajeto de criação e construção do evento, pautados por uma intensa experiência emocional, entre avanços e recuos, esperanças e desesperanças, “fomos construindo um espaço do vir a ser e acontecer, cujo tema, escolhido no tempo passado, nunca se fez tão atual nos mundos de hoje”, observa a psicanalista da SPPA, salientando que escrever sobre o Congresso “é uma viagem no tempo, com emoção. Mergulhamos numa ‘experiência’ que contém inseparavelmente a dimensão de ‘travessia’ e ‘perigo’ em busca do caminho de laços possíveis e voltados ao favorecimento do acontecer. Os encontros preparatórios com as diversas federadas, os debates científicos e as conversas entre colegas, assim como a nossa intensa dedicação ao trabalho, o clima afetuoso e a colaboração e o trabalho de muitos, contribuíram para o sucesso do evento”, afirma Joyce.

O tema escolhido teve, como uma das bases teóricas para a sua escolha, o texto de Freud Psicologia das Massas e análise do Eu, que, em 2021, completou o centenário de publicação. Texto este que, por sua amplidão, permitiu desdobramentos diversos na composição dos temas apresentados, incluindo o intrapsíquico, o intersubjetivo e a relação do sujeito com o ambiente sociopolítico e cultural.

Para Joyce Goldstein, “o tema Laços: o Eu e o mundo se fez potente e presente na sua pluralidade e através da intersecção da psicanálise com este vasto mundo, representada pela nossa conferencista principal, Elisabeth Ann Danto, além dos palestrantes e do público das diversas mesas redondas, que nos brindaram com excelentes apresentações e participações, contribuindo para a realização exitosa do 28º Congresso da Febrapsi. A troca, feita através de conversa fértil entre os apresentadores e o público que participou ativamente do chat, deixou um ‘gostinho de quero mais’. A consistência teórica, a participação calorosa e afetiva, a presença e a animação de todos, fez circular e manter o clima de vida, possibilitando o tão desejado sucesso do nosso Congresso.”

As atividades culturais estiveram presentes durante toda a programação e trouxeram o sabor da música, da dança e dos costumes do Sul – o que transportou todos para Gramado, local escolhido para sede caso o Congresso tivesse sido presencial. “Dentro do clima de laços, a psicanálise e a literatura deram vida ao Congresso através de nossos poetas homenageados, Mario Quintana e Érico Veríssimo, que nos acompanharam com suas forças poéticas e inspiracionais”, observa a representante da SPPA e secretária do Conselho Científico da Febrapsi. “Enlaçados com o Eu e o mundo, saímos todos transformados com a marca da gratidão”, finaliza Joyce.