Sociedade Psicanalítica de Porto Alegre (SPPA)

ANO 21 • • Nº 40

ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE PSICANALÍTICA DE PORTO ALEGRE

Porto Alegre | RS

Comitê de Psicanálise de Casal e Família estuda a realidade psíquica dos vínculos

  • Encontro presencial de confraternização do Comitê de Psicanálise de Casal e Família. Na foto: (Esq. para dir.) Maristela Wenzel, Patrícia Fabrício Lago, Ângela F. Wirth (atrás), Mery Wolff, Lisandra Guillen , Carmem Keidann, Lúcia Thaler, Miriam de Santis e Rosaura Lembert

O Comitê de Psicanálise de Casal e Família tem se dedicado a refletir sobre o tema da realidade psíquica dos vínculos a partir do referencial do psicanalista francês René Käes. Na reunião do Comitê, realizada em 7 de outubro, organizou-se um proveitoso encontro com Pablo Castanho, psicanalista de São Paulo, o qual foi convidado em função de sua grande experiência com psicanálise e dinâmica grupal. Ele é o autor do livro “Uma introdução psicanalítica ao trabalho com grupos em instituições”, cuja leitura é recomendada tanto aos psicanalistas quanto a outros profissionais da área da saúde, bem como a educadores que trabalham com pessoas e grupos nas mais diversas circunstâncias. O livro oportuniza alcance ampliado do pensamento psicanalítico sobre o tema, além de convergência com outras disciplinas da área das humanas.

Pablo Castanho trabalha com grupos em sua clínica privada e em serviços públicos, mas afirma não ter experiência no atendimento de casais e famílias, foco dos estudos neste Comitê. Em sua ampla experiência terapêutica com grupos em instituições, vale-se principalmente do referencial teórico sobre grupos de estudo de René Käes, o que, por si só, justifica o interesse do Comitê em seguir oportunizando troca de conhecimentos com ele.

A Psicanálise de Família e Casal tem apresentado significativo desenvolvimento em nível mundial, o que se traduz pela constante ampliação da literatura na área, assim como pelo incremento na representatividade de seus Comitês nas instituições psicanalíticas nacionais e internacionais.

Verifica-se também que tanto os psicanalistas e outros profissionais da área Psi quanto a própria população em geral têm demonstrado interesse pela busca dessa modalidade de tratamento como uma alternativa promissora na área da saúde mental.